TRIER

Foto da parede da estação  de trem de Trier

No final do ano de 2015 fomos a Luxemburgo aproveitamos para fazer um bate volta até Trier, a mais antiga cidade da Alemanha. Amei essa cidade. Recomendo.
Fomos cedinho de trem, chegamos em 54 minutos, compramos a passagem na hora, retornando final do dia.

Estação de Trier

Para quem não sabe, Tréveris  (Trier em alemão) está localizada na região do Rio Mosela, divisa com Luxemburgo e norte da França. Tem ruínas romanas antigas como por exemplo a Porta Nigra. Para o Brasil, Tréveris enviou imigrantes que chegaram em 1828/1829 na colônia de Rio Negro na então província de São Paulo (hoje divisa do Paraná com Santa Catarina) e também antes disso, para o Vale dos Sinos no Rio Grande do Sul.Saindo da estação , e muito fácil chegar ao centro histórico, basta caminhar pela avenida principal por cerca de 700 metros, 10 a 15 minutos .

 

 

PORTA NIGRA

O portal da cidade, batizado de Porta Nigra (latim para Porta Negra) na Idade Média por causa das pedras escurecidas com o tempo, data do século III. A estrutura da defesa mais antiga da Alemanha ainda impressiona por seu tamanho: 36m de comprimento, 21,5 de largura e 30m de altura. Duas passagens levam a um pátio interno, com duas fileiras de galerias de defesa com grandes janelas. Há duas torres na lateral do portão – uma de quatro andares a oeste e outra não terminada, com apenas três andares, a leste. Toda a estrutura é feita de grandes blocos de pedra, sem argamassa.
Detalhes do Portal da Cidade
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 




Hauptmarkt

A Praça do Mercado (Hauptmarkt) de Tréveris, do século X, é uma das mais interessantes da Alemanha. A cruz do mercado (Marktkreuz), da mesma época, simboliza o direito de sediar feiras conquistado pela cidade. Hoje há uma cópia da cruz original assentada sobre uma coluna romana de granito, com relevo de Cordeiro de Deus. No sudeste da praça fica a Fonte de São Pedro (Petrusbrunnen), de 1595, com esculturas de São Pedro e das Quatro Virtudes.




Cópia da Cruz do Mercado
Fonte de São Pedro (Petrusbrunnen)

 

Dreikönigenhaus

 

O Dreikönigenhaus em Simeonstrasse em Trier , perto de Porta Nigra é uma casa gótica, que consiste de um românico torre residencial construído.
O nome vem de uma pintura da Epifania, pendurado nesta casa.Originalmente, a casa foi chamado de “Para pequenas colunas” e foi construída 1230 A entrada principal foi em 1º andar (acima da entrada à direita) e só poderia ser alcançada através de um Zugtreppe. Em caso de perigo este poderia ser obtida e pertences estavam seguros. Em Trier provavelmente havia sete a dez tais torres residenciais fortificadas, um dos quais, além do Dreikönigenhaus mas apenas a torre de Jerusalém e o Frankenturm permanecem. Estas torres serviram como residência de famílias ricas e politicamente influentes, o Dreikönigenhaus provavelmente pertencia a uma família vereadores Trier.

 

 

CATEDRAL DE SÃO PEDRO


Foi erguida em diversas etapas — no começo do século XI, final do século XII, meados do século XIII e século XIV. Tem a forma de basílica com nave tripla, dois coros, transepto e seis torres. Na parte interna estão peças magníficas, como o túmulo do legado papal Ivo (1144) e o altar da sepultura do arcebispo Richard von Greifenclau (1531).
Suas dimensões, 112,5 por 41 metros, tornam-a a maior igreja em Tréveris (Trier em Alemão. Em 1986 ela foi declarada Património Mundial da Humanidade pela UNESCO no âmbito do grupo chamado “Monumentos romanos de Tréveris, Catedral de São Pedro e Igreja de Nossa Senhora de Tréveris”.
Durante o século XIX foram realizadas grandes obras de renovação que tinham como objetivo devolver à catedral um aspecto medieval. No inverno de 1944-1945, a catedral, como todo o resto da cidade, foi severamente danificada durante a luta pela tomada da cidade pelas tropas aliadas. Entre 1960 e 1974, ocorreram os últimos trabalhos de restauração, com a gestão do altar agora de acordo com a liturgia imposta pelo concílio Vaticano II. O novo altar foi consagrado em 1 de maio de 1974, e a catedral voltou a realizar serviços religiosos.

 

 

 

 

 

 



 

Konstantinsbasilika 

É uma construção de tijolos com forma alongada e retangular na cidade de Trier, Alemanha. Mede 67 m de comprimento, 27,5 m de largura e 30 m de altura e exibe uma grande abside semicircular, que abrigava o trono do imperador romano.


Depois de saques perpetrados por tribos germânicas, o edifício ficou quase destruído. No século XII a abside foi transformada em torre para acomodar o arcebispo. No século XVII o Aula Palatina passou a fazer parte do recém construído Kurfürstliches Palais (Palácio Eleitoral) e a parede leste foi parcialmente demolida. Nos períodos napoleónico e prussiano o local serviu de alojamento militar. O rei Frederico Guilherme IV da Prússia ordenou a reconstrução da Aula Palatina, que desde 1856 abriga a igreja protestante de São Salvador. Reerguida após o bombardeio de 1944 na Segunda Guerra Mundial, seu tamanho ainda transparece extraordinário.




 

 

 

 


 

Kurfürstliche Palais

O Kurfürstliche Palais (Palácio Eleitoral) é um palácio da cidade de Trier, na Alemanha, que serviu de residência aos príncipes-eleitores de Trier (ou seja, os Arcebispos de Trier) entre o século XVII e 1794.
O palácio possui duas alas, uma renascentista e outra rococó, construídas, em parte, sobre a área duma antiga estrutura romana, a Konstantinbasilika (Basílica de Constantino). Por esse motivo, no século XIX, a ala oeste do palácio foi sacrificada com vista à reconstrução da basílica no seu lugar. Durante a Segunda Guerra Mundial o palácio foi bastante danificado. Em seguida, foi reconstruída a ala de habitação, o chamado Niederschloss (“Palácio de Baixo”), com excepção da Rotem Turm (Torre Vermelha) e dum portal completamente destruído.
Depois da expropriação que os eleitores sofreram sob o domínio de Napoleão, o Kurfürstliche Palais serviu, durante o século XIX e início do século XX, de quartel para as tropas francesas e prussianas. Actualmente, o palácio serve de seda a uma agência governamental. Parte da ala norte é usada por uma comunidade protestante e parte da ala sul serve para fins de representação.
O Palastgarten (Jardim do Palácio), a sul do complexo, está disponível ao público como um parque, desde o início do século XX.

 

 

Barbarathermen

São as termas romanas com a maior pegada, construída ao norte dos Alpes. O ponto de partida para cometer o spa está localizado no início da Friedrich-Wilhelm-Straße .

Desde 1986, os Banhos Barbara fazem parte dos UNESCO Património Mundial Monumentos Romanos,
 

 

Kaiserthermen – Termas Romanas


Perto do Rheinisches Landes-Museum situam-se as ruínas das termas imperiais (Kaiserthermen). Construídas no início do século IV, durante o reinado de Constantino, elas eram o terceiro maior complexo de termas do mundo romano. As ruínas das paredes e fundações ainda exibem o desenho original. As paredes do caldário (a sala com piscina de água quente) são as mais preservadas. Depois vem o tepidário, as termas mornas.

 

 



 

Römerbrücke

A Ponte Romana ( alemão : Römerbrücke ) é uma estrutura antiga em Trier, na Alemanha , sobre o Mosela . É a ponte mais velha do país. Os nove colunas da ponte datam do século II dC. A parte superior foi renovada duas vezes, no início do século 12 e no início do século 18, depois de sofrer destruição na guerra. É designado como parte dos Monumentos Romanos, da Catedral de São Pedro e da Igreja de Nossa Senhora em Trier, Património Mundial da UNESCO .
 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s