Conhecendo a Itália – Pizzighettone

Pizzighettone é uma comuna italiana da região da Lombardia, província de Cremona, com cerca de 6.766 habitantes.

As origens de Pizzighettone estão ligadas ao rio Adda, que ainda hoje caracteriza o centro histórico, dividindo-o em duas partes, uma das quais, na margem direita e denominada Gera, segundo a tradição, teria surgido nas proximidades do Acerra etrusco.
Os primeiros documentos certos datam do período medieval, uma época em que a vila, também por causa dos negócios favorecidos por sua localização, se tornou um local de disputa entre os municípios de Milão e Cremona.

O centro histórico da cidade é cercado pelas poderosas muralhas da cidade, boa parte das quais é aberta ao público. As muralhas, como pode ser visto hoje, datam de 1650, quando as defesas anteriores foram reconstruídas pelos espanhóis. Os austríacos realizaram novas intervenções por volta de 1720.
A parede cortina de Pizzighettone preserva dentro de uma série de salas abobadadas, todas conectadas umas às outras (as Casemates), e também é equipado com um Rivellino semicircular (defesa avançada da cidade militar) do século XV) e é totalmente cercado por um fosso que já representou uma defesa adicional para a comunidade. O lado sudeste das paredes termina com a revista em pó San Giuliano, enquanto a região norte abriga as células da sentença de prisão perpétua na Áustria.

A igreja dos santos Rocco e Sebastiano, a igreja de S. Pietro, construída no século XVIII e o santuário da Beata Vergine del Roggione, adornada com afrescos, decorações e cariátides em estuque.
Finalmente, não podemos deixar de mencionar o Museu Cívico, que documenta a história do território e que pode ser visitado sem um guia, graças à presença de material informativo ao longo do percurso.
No município de Pizzighettone, ocorre um evento de comida e vinho entre o final de outubro e o início de novembro, durante o qual é proposta a degustação do prato “Fasulìn de l’öc cun le cùdeghe”, um prato típico da área entre Lodi e Cremona, de feijão e casca de porco cozidos.

Não muito longe do lado sul das muralhas da cidade, fica a igreja paroquial de San Bassiano, construída em 1158 pelos lodigianos que fugiram para Pizzighettone após a destruição de Lodi pelos milaneses. Entre os elementos mais valiosos, a rosácea com azulejos com os símbolos Sforza (1467) na fachada românica e as obras preservadas no interior, incluindo a Crucificação com afrescos de Bernardino Campi (1522-1591), na contra-fachada.
Em frente à igreja paroquial fica o Palazzo Comunale (1479), que consiste em um pórtico com arcos pontiagudos, encimado por janelas decoradas com molduras de terracota, enquanto não está longe, na Via Garibaldi, é o Palazzo Quartier Fino do século XVI, que abriga o Museu Cívico. e a Biblioteca Municipal.
Não muito longe, perto da ponte sobre o rio Adda “Trento e Trieste”, que une Pizzighettone à aldeia de Gera, há a Torre del Guado (Torrione), a única das quatro torres do castelo Pizzighettone (século XII) que sobreviveu ao caos do início oitocentos. Em 1525, a torre abrigava seu prisioneiro mais ilustre, o rei francês Francisco I de Valois, derrotado na batalha de Pavia pelas tropas do imperador espanhol Carlos V.

É muito facil de conhecer. O trajeto a pé é super tranquilo, os pontos turísticos são bem próximos um dos outros.

É uma cidade encantadora.

Assistam o vídeo e aproveita e se inscrevam no nosso canal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s